Agende sua consulta: (21) 3473-9737 / 9222-2309
  • VTEM Image Show

    Odontogeriatria

  • VTEM Image Show

    Odontopediatria

  • VTEM Image Show

    Clínica Geral

  • VTEM Image Show

    Clareamento Dentário

  • VTEM Image Show

    Implantes Dentários

  • VTEM Image Show

    Disfunções de ATM

  • VTEM Image Show

    Periodontia

  • VTEM Image Show

    Day Spa Treatment

  • VTEM Image Show

    Odontologia Estética

  • VTEM Image Show

    Endodontia

  • VTEM Image Show

    Próteses Dentárias

  • VTEM Image Show

    Ortodontia

  • VTEM Image Show

    Cirurgias Bucais

Halitose (Mau Hálito)

A halitose ou mau hálito, é um sinal ou sintoma, que sinaliza que algo no organismo está em desequilíbrio. Podemos considerar halitose quando o fluxo expiratório de uma pessoa apresenta odor ofensivo ao olfato humano. Ela normalmente é resultado de vários fatores combinados, e já existem mais de 60 causas cientificamente comprovadas para sua ocorrência. Sabe-se que mais de 90% das causos de mau hálito originam-se na cavidade bucal.

A halitose pode ser REAL (quando a alteração do hálito é perceptível ao olfato de outras pessoas) ou pode ser um sintoma - PSEUDO HALITOSE (quando o paciente sente o mau hálito, mas não é confirmado por outras pessoas. Tem alterações gustativas o olfativas).

Algumas das causa mais comuns são FISIOLÓGICAS: fatores alimentares (alimentos aromáticos como alho e cebola, ricos em enxofre, bebidas estimulantes como o café), uso de substâncias com álcool na composição, fumo, uso de drogas, estresse intenso, baixo consumo de água e jejum prolongado. Dentre as alterações PATOLÓGICAS que podem levar à halitose podemos citar: periodontite, alterações otorrinolaringológicas agudas (amidalites, sinusites), quadros de infecção, prisão de ventre acentuada, refluxo e diabetes.

Para fazer o diagnóstico de qual a causa da halitose, o profissional precisa levar em considração primeiramente alguns fatores bucais como quantidade e qualidade da saliva, hábitos alimentares, avaliação periodontal, presença de saburra lingual (placa bacteriana sobre a lingua), lesões de cárie e restaurações mal adaptadas. Na ausência destes fatores, passa-se a analisar fatores sistêmicos como anatomia das amígdalas e problemas de saúde pré-existentes.

Com a detecção das causas da halitose, é possível elaborar um plano de tratamento específico para cada caso. O importante é saber que a halitose não provoca outras alterações, apesar de causar problemas de ordem emocional, íntima, profissional e social gravíssimos. Ela "avisa" sobre a existência de alguma anormalidade, que deve ser diagnosticada e propriamente tratada.